Viajar grávida é seguro? Saiba quais são os cuidados ao viajar nessa fase da vida

6 minutos para ler

Quando um casal recebe a notícia de que terá um filho, sem dúvidas, é emoção que não cabe no peito. A rotina deles muda e os preparativos para a chegada da criança são frequentes. Porém, quando eles são viajantes confessos é inevitável surgir aquela velha dúvida: viajar grávida é ou não é seguro? Afinal, é natural eles se preocuparem e buscarem informações para se precaver.

Pensando nessa questão, preparei um post para falar sobre gravidez e viagens e os cuidados necessários para que as futuras mães possam continuar desbravando o mundo com segurança e sem contratempos. Acompanhe!

É seguro viajar grávida?

Sim, é seguro viajar grávida quando a sua gestação não passou dos seis primeiros meses e não é categorizada como sendo de risco — isto é, quando há algum problema de saúde capaz de trazer complicações para a mulher e o bebê.

Além disso, tendo o devido acompanhamento médico de um obstetra, você fica resguardada e muito mais tranquila para continuar com os seu planos de conhecer novos lugares, visitar países diferentes e ter contato com outras culturas e vivências.

Quais os cuidados para uma viagem durante a gravidez?

Como dito há pouco, você pode viajar grávida. No entanto, mesmo que a gestação esteja nas primeiras semanas é fundamental ter alguns cuidados para evitar situações que comprometam o seu bem-estar físico e psicológico. Afinal, por mais clichê que seja, agora é preciso pensar por dois: você e seu filho. Portanto, veja, abaixo, algumas sugestões importantes para viagens mais tranquilas!

Consulte-se com o seu médico

O primeiro cuidado é simples e direto: consulte-se com o seu médico antes mesmo de comprar passagens e pensar em montar um roteiro. Dessa forma, ele fará não só uma avaliação clínica, mas também alguns exames para saber se a sua saúde e o seu estado físico estão em dia para lidar com uma viagem.

Além disso, ele lhe passará recomendações específicas sobre alimentação, hidratação e rotina de sono no seu destino. Por fim, o profissional da saúde ainda vai apontar lugares que você pode ou não visitar devido a epidemias de doenças contagiosas e/ou restrições de vacinação que não podem ser tomadas durante a gravidez.

Dê preferência a viagens menos agitadas

Já que falei em roteiro, mantenha em mente a seguinte sugestão ao montá-lo: planeje uma viagem com programação leve. Isso porque fazer atividades físicas que você não está acostumada, explorar áreas montanhosas, passear em zonas florestais ou frequentar locais muito cheios e movimentados nas grandes cidades (como eventos públicos) são passeios que podem deixá-la indisposta e afetar o seu bem-estar e, consequentemente, o do seu bebê.

Portanto, opte por programas menos agitados e que demandem o mínimo de esforço físico da sua parte, ainda mais quando você já não tem resistência e condicionamento adequados para essas atividades.

Planeje sua mala com peças confortáveis

Saindo do roteiro e indo para a preparação das malas — que, para muitos, é uma das partes mais divertidas da viagem — não se esqueça de colocar nelas somente peças confortáveis, principalmente quando você vai visitar regiões com o clima diferente da sua cidade natal. Por exemplo, imagine que você mora em Fortaleza, que é uma cidade conhecida pelo calor constante ao longo do ano, e vai conhecer Oslo, na Noruega, que é um local onde as baixas temperaturas são frequentes e ocorrem até na primavera e no verão.

Isso é importante, pois roupas muito justas e apertadas reduzem a mobilidade dos braços e das pernas, provocam pressão excessiva em várias partes do corpo (como é o caso da barriga e dos seios) e ainda podem aumentar a sensação de calor e abafamento, levando você a passar mal. Lembrando que essa dica também vale para calçados e acessórios, certo?

Garanta a cobertura do plano ou de um seguro viagem

Uma quarta dica para quem quer viajar grávida é garantir que haja cobertura do plano de saúde na cidade que será visitada. Para tanto, confira se a modalidade contratada do seu plano é nacional. Ou seja, você pode ser atendida em qualquer hospital da rede no país. Contudo, se for regional ou local, vale a pena conferir se há alternativa de mudar a cobertura.

“Mas e se o meu destino for internacional?”, você pode estar se perguntando. Bem, nesse caso, o ideal é contratar um seguro viagem que oferece tanto assistência médica e odontológica no exterior quanto assistência em relação a problemas com malas, voos etc. Isso é importante mesmo em uma viagem curta, já que imprevistos podem acontecer a qualquer momento.

Hospede-se em resorts

Por último, não abra mão de se hospedar em locais onde o conforto, a comodidade e a praticidade sejam garantidos. Em um resort, por exemplo, você terá à sua disposição não só diversas áreas de lazer e entretenimento, mas serviços que são bastante úteis para gestantes — como é o caso do serviço ambulatorial e da estrutura hospitalar — e, inclusive, mulheres que já são mães — como é o caso do serviço de baby-sitter.

Até quantas semanas é possível viajar de avião?

O recomendado é que as viagens, independentemente do meio de transporte, aconteçam apenas até o sétimo mês de gravidez. Afinal de contas, no último trimestre da gestação aumentam as chances de dar à luz, de forma prematura. Aliás, alguns fatores podem influenciar nisso, como é o caso de turbulências em aviões, excesso de velocidade em trens e derrapagens de carros e ônibus nas estradas.

É por isso que as próprias companhias aéreas exigem a apresentação de um atestado médico que comprove que as grávidas podem viajar sem maiores complicações com 28 semanas ou mais. Do contrário, não poderão embarcar com os outros passageiros. Vale comentar que a partir de 36º semana é solicitado não só o atestado, mas também uma declaração de responsabilidade assinada pela viajante.

Como você viu, tendo os devidos cuidados no planejamento das viagens, especialmente quando se trata da elaboração do roteiro, da escolha da hospedagem, da organização da bagagem e dos cuidados médicos, é possível viajar grávida e ter experiências tranquilas e sem contratempos. Por isso, não deixe de seguir as sugestões apresentadas aqui!

Gostou de ler sobre o assunto? Então aproveite que o tema do post é viagem e confira 10 lugares românticos no Brasil para passar o dia dos namorados!

Powered by Rock Convert
Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-